Storage Spaces Direct – Windows Server 2016


Dando continuidade ao “armazenamento definido por software” (Software Defined Storage – SDS), a Microsoft apresenta no Windows Server 2016 Preview uma nova extensão do Storage Spaces, o “Storage Spaces Direct”.

O Storage Spaces Direct é um grande passo na já conhecida estrutura de SDS da Microsoft, e para quem ainda não conhece, incentivo fortemente que conheça essa tecnologia através desses dois vídeos, aqui e aqui, onde o Storage Spaces é explicado de maneira clara e didática, pois o seu conhecimento é de fundamental importância para entendimento do Storage Spaces Direct.

Essa nova e poderosa extensão (Storage Spaces Direct) traz agora para o Storage Spaces, a possibilidade de criar Alta Disponibilidade através de discos locais do seu servidor, ou seja, eliminando a necessidade de um Storage compartilhado!

E se você, assim como eu, achou essa nova funcionalidade do Storage Spaces uma evolução fantástica, saiba que ainda tem mais, pois é possível agora utilizar em configurações CSV (Cluster Shared Volumes) discos SATA e os poderosos discos NVMe (Non-Volatile Memory Express), que conseguem explorar ainda mais o desempenho dos discos SSD através de slots (soquetes) PCIe.

Vamos exemplificar melhor o Storage Spaces Direct através dessas imagens do Technet, onde verificamos na figura 1 temos a configuração utilizando os discos internos dos servidores, e na figura 2, JBODs SAS conectados nos servidores (para permitir um número maior de discos):

ssd1

 

ssd2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E ainda conforme o Technet, para termos uma melhor performance, na comunicação entre os nós é utilizado o SMB3, o que inclui o SMB Direct (através de interfaces RDMA) e o SMB Multichannel, melhorando e muito a performance e tolerância a falhas.

Uma importante questão é que a Microsoft está informando o ReFS (Resilient File System) como o file system a ser utilizado para armazenar as VM’s do Hyper-V. O ReFS possui melhoras quanto as correções de erro e correções automáticas, além de proporcionar acelerações para as operações com VHD (e VHDX) como a criação de VHD(X) “fixed”, crescimento dinâmico do VHD(X) e “merge” do VHD(X).

Voltando agora ao Storage Spaces Direct, entendemos então que a sua função principal é habilitar o uso dos discos locais para serem usados como storage compartilhado pelo cluster, e o Storage Spaces Direct pode ser implementado de duas maneiras: Na configuração “disaggregated” ou na configuração “hyper-converged”.

Na configuração “disaggregated”, os servidores Hyper-V ficam separados dos servidores de armazenamento (storage), e essa configuração é indicada para ambientes que requerem uma grande escalabilidade, tanto por parte dos hosts Hyper-V, quanto dos hosts de armazenamento (Storage Spaces Direct servers). Em relação aos hosts de armazenamento, é necessária a utilização do Scale-Out File Server (SOFS).

Já na configuração “hyper-converged”, tanto o cluster de Hyper-V como o Cluster de armazenamento ficam no mesmo hardware. Essa configuração é apropriada para ambientes menores, onde temos uma menor necessidade quanto a escalabilidade.

Segue abaixo imagens do Technet, demonstrando essas duas configurações:

ssd3

ssd4

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E no próximo artigo, iremos efetuar a configuração do Storage Spaces Direct, até mais!!